domingo, 31 de maio de 2015

Sífilis, Gonorréia, Grandes Guerra Mundiais, Conspiração e Criativos Cartazes!





     Mais uma vez eu tento fazer um post sucinto sobre um assunto, mas a curiosidade é um bicho danado!!! Explico:
       Estava eu nos mares da internet e achei MUITO material legal sobre doenças venéreas durante a 1º e 2º Guerra Mundial e resolvi mostra-los aqui! No entanto, não era apenas propagandas americanas realizada pela ASHA (esta foi a primeira pesquisa: Associação Americana de Higiene Social - Resolvi deixar em outro post), tinha alemãs, francesas... e como de costume, lá fui eu revirar o baú para achar nome dos artistas e tals, aí que encontrei coisas surpreendentes que nem imaginava!! Como os tratamentos profiláticos, a quantia grande de baixa nas tropas por conta da doença, as histórias divertidas de guerra que soldados chegavam na enfermaria todo apavorado e como os governos usavam as propagandas para afetar seu inimigo, o desmoralizando!


     Eu adoro histórias de guerra! Se você é como eu, pula pra cá!





Tropas médicas transportam soldados feridos, voltando para a estação de socorros usando uma transportadora de campo dobrável (Item # 9917500). Tomadas Inverno de 1944.


Prevenção:



Uma ilustração mostrando um folheto que foi impresso em 1 de janeiro de 1943, e que foi emitido para todas as tropas estacionadas no ft. Benning GA. (número de referência: 26386-BENNING, GA., 1-1-43-100.000)

Departamento de Guerra: panfleto fornecido para cada recruta mediante inscrição, explica sexo higiene e doenças venéreas em 16 páginas (nos GPO:1940 Ref 254247 °).



        Dentre esses panfletos foi Sexo Higiene e Doença Venérea, impresso 1 de agosto de 1940 pelo U.S. Government Printing Office (como por A.G. 726.1 datada de 20 de outubro de 39, o panfleto era para ser fornecido para cada recruta mediante inscrição). O livreto não só ofereceu informações aos soldados sobre como evitar doenças venéreas, mas também o que fazer se tornarem-se infectadas. O panfleto fornecia informações suficientes sobre várias doenças, possibilitando que as tropas diagnosticassem as doenças e infecções sem visitar o pro-estação. Este é o resumo que é oferecido pelo panfleto:
  • Masculinidade vem de órgãos sexuais saudáveis.
  • Não é necessário ter relações sexuais, a fim de manter-se forte e bem.
  • Doença pode arruinar os órgãos sexuais e privar um homem de sua saúde e felicidade.
  • Você tem um belo corpo saudável agora. Continue assim.
  • Doenças venéreas são provenientes de relações ou contato íntimo com uma pessoa doente. Elas são muito graves. Sífilis e gonorréia são as duas piores.
  • A maioria das prostitutas tem doença venérea.
  • Proteja-se contra doenças venéreas ficando longe de mulheres "fáceis". Não jogue sua saúde fora.
  • Se você não tem autocontrole então não deixe de tomar medidas de segurança.
  • Se você ficar doente, apresentar-se imediatamente ao seu comandante. O tempo é mais importante.
  • Força de vontade e autocontrole ajudam a manter o corpo e a mente de um homem saudável.
  • Um corpo saudável e uma mente saudável levam a felicidade.



Introdução: no início do século XX a doença venérea foi uma preocupação predominante para organizações sociais de saúde. Doenças como sífilis e gonorréia afetou muitas pessoas e o estigma social de doenças sexualmente transmissíveis impediu a maioria das pessoas de discutir ou saber os meios de tratamento para a doença venérea. Em 1913, numa conferência em Buffalo, Nova Iorque, várias organizações dedicadas à luta contra a prostituição e doenças venéreas se uniram para formar a Associação americana de higiene Social (ASHA).
       Durante a década de 1920, ASHA serviu como um coordenador central para os Comitês locais ou regionais, médicos, funcionários da saúde pública e agências de previdência social que foram combater doenças venéreas e vice. Além da contínua luta contra doença venérea e prostituição, ASHA publicou o Jornal de higiene Social e o Boletim de higiene Social. A organização também promoveu a educação do personagem e sexo como um meio de impedir a propagação da doença venérea. O programa educacional de ASHA enfatizou a preparação para uma vida familiar saudável, evitando a doença venérea e aptidão física, bem como moral. Os cartazes de "Juventude e vida", exibidos abaixo foram selecionados a partir de uma série de 48-cartaz, criados para educar meninas adolescentes e mulheres jovens sobre os perigos da promiscuidade sexual e exortou-os a abraçar a aptidão física e moral.
(Nota: as imagens abaixo foram feitas a varredura de um conjunto de 48 cartazes originais nos arquivos de histórico de bem-estar Social da Universidade de Minnesota. A American Social Health Association, uma organização que centrou-se sobre a eliminação de doenças sexualmente transmissíveis, desde o início do século XX, manteve cópias de cartazes que tinham produzido ou patrocinado, assim como os outros produzidos por várias agências governamentais. ASHA doou os cartazes para os arquivos de histórico de bem-estar Social juntamente com o resto de seus registros históricos.)



Doenças Venéreas e Tratamento durante a 2º Guerra Mundial


Situação

       Desde o início da madrugada de manobras militares e atividades, comportamento e higiene sexual tem provado ser um grande problema para exércitos dos mundos, e para a WW2 (WW2 US Medical Research Centre) provou não ser diferente. Soldados em missão no exterior eram muitas vezes solitários, tinham tempo de sobra, saudades ou estavam apenas à procura de companhia feminina... Durante a grande guerra, V.D. (Doenças Venéreas) tinha causado para o exército uma baixa de serviços de 18.000 militares por dia. Embora por 1944 este número tinha sido reduzido 30-fold, (aceito sugestões de tradução) havia ainda, cerca de 606 militares incapacitados por doenças venéreas, todos os dias. Esta queda em números foi em parte devido ao esforço do exército para aumentar a conscientização sobre os perigos enfrentados pelos militares através de má higiene sexual, mas também devido aos importantes desenvolvimentos em medicina na área de tratamento da doença.

      Em finais de 1943 um caso de gonorréia exigia-se um tratamento hospitalar de 30 dias e cura sífilis permaneceu uma provação de 6 meses – por meados 1944, um caso médio de gonorréia foi reduzido para 5 dias, e em muitos casos, o paciente manteve-se sobre o estado de direito durante o tratamento.
           A pior doença venérea conhecida pelo departamento médico, durante a segunda Guerra Mundial foram a gonorréia e a sífilis, logo a maioria dos tratamento e programas conscientização tinham grande destaque para essas duas infecções em particular. A descoberta do HIV e da AIDS demoraria ainda mais de 40 anos, e então isso não representam um problema para os militares dos EUA durante WW2.

         As primeiras forças americanas estacionadas no norte da ilha (USANIF) e nas Ilhas Britânicas (USAFBI) recebeu atenção especial do departamento de medicina. As unidades foram dirigidas, em cooperação com as autoridades locais, para estabelecer as primeiras estações de preservativo fora da base e rastrear os contatos de militares que se tornaram infectados.
          Unidades americanas foram avisadas para manter tudo o mais discreto possível e usar termos gerais tais como posto de socorros de exército dos EUA, em vez de Estação de Pro(phylactic) . Apesar das medidas tomadas, V.D. foi se espalhando entre as tropas, e mesmo com tratamento rápido e eficaz, incluindo o uso de sulfas e a penicilina, o custo para o exército era pesado em tempo perdido de dever e desvio de recursos médicos, além de ser uma fonte de tensão política e social entre as forças americanas e seus hospedeiros britânicos. Isso também ocorreu na França, após a libertação de Paris e em certa medida na Alemanha, embora este país estava militarmente derrotado e ocupado.

       Foram nomeados oficiais de controle de doenças venéreas, programas especiais de recreação foram introduzidos em estreita cooperação com a Cruz Vermelha e serviços especiais.
        A educação sexual foi enfatizada e oficiais, cirurgiões e capelães deram palestras. A fim de melhorar a higiene sexual de suas tropas, o exército dos EUA produziu uma série de documentos e equipamentos que levava as mensagens sobre sexo, higiene e doenças venéreas. Por exemplo, jogos incluídos em umas caixas de ração K muitas vezes foram impressos com slogans cativantes, alertando contra os perigos de V.D. filmes e cartazes, apresentados graficamente slogans e avisos, exortando os homens por razões de patriotismo, orgulho da unidade, fidelidade aos entes queridos em casa e interesses pessoais para evitar o contato sexual ilícito, que, como foi sublinhado, quase invariavelmente levou à infecção! Se os soldados não conseguiram cumprir, os programas de educação exortou-os a ter cuidado usando a profilaxia mecânica e química, fornecida pelo exército corretamente.
         O governo dos EUA produziu uma série de panfletos que foram emitidos para as tropas, educando-os sobre a importância da boa saúde sexual.

         Outro passo importante que foi tomado pelo governo dos EUA para aumentar a conscientização sobre as idéias de sexo seguro entre seus recrutas que foi uma série de cartazes que foram produzidos e exibidos no quartel, hospitais e estações ferroviárias. Muitos dos cartazes e folhetos de propaganda foram contundentes e direto ao ponto, iguais aos cartazes de sensibilização de hoje.



Vamos conferir alguns cartazes interessantes que rolaram tanto nos EUA como em outros países?


Vamos conferir os Cartazes!!!


   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 





 
Pin It button on image hover