segunda-feira, 30 de março de 2015

Identidades e Ressentimento Psicológico - Maria Rita Kehl - Café Filosófico




"No módulo “A Psicanálise e os Novos Referentes da Subjetividade” a psicanalista e escritora Maria Rita Kehl trata das identidades sociais e do ressentimento psicológico, da vida em transformação na sociedade contemporânea é abordada, tratando-se da definição de ressentimento enquanto constelação afetiva, sua expressão na Indústria Cultural (letaratura, cinema) e em manifestações individuais, bem como a aceitação social ou não deste modo de sofrimento. 

Relações sadomasoquistas são reveladas no movimento de repetição da mágoa, preservando o narcisismo do ressentido, mantendo-o na mesma condição em que se encontra. Mostra a faceta da suposta pureza e superioridade moral do ressentido e a possibilidade fantasiosa de vingança em relação aos que lhe feriram como possibilidade única de defesa e manifestação de agressividade.

Da submissão voluntária (individual ou social) refletida em acusação permanente a um outro, o ressentimento passa à submissão opressiva, que se superada pode chegar à categoria de revolta, não permitindo a perpetuação da injustiça.

A partir destas discussões a psicanalista desenvolve uma potente reflexão chegando à identidade nacional brasileira como sociedade ressentida, contando ao longo deste percurso com o auxílio do legado de Nietzsche, Max Scheller e Sigmund Freud, exibindo também cenas dos longamentragens “O Piano” de Jane Campion (1993) e “Quanto Vale ou é por Quilo?” de Sérgio Bianchi (2005), além da Carta de Pero Vaz de Caminha a respeito de suas primeiras impressões sobre os nativos brasileiros."




ótima palestra, espero que gostem e, não encontrei o autor desta fotografia de capa, mesmo buscando por imagens no google, caso vc seja ou saiba quem é o autor, por favor, me comunique para que eu possa colocar os créditos! =)
 
Pin It button on image hover